Churrascarias recebem primeiros clientes na retomada

Com o retorno dos clientes, os restaurantes se adaptam e aderem a novos protocolos

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2020 07h19 - Atualizado em 27/07/2020 09h14
BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOOs clientes estão voltando aos poucos, com o salão recebendo 40% da capacidade total da unidade

A felicidade de voltar a uma churrascaria depois de tanto tempo estava estampada na cara do médico Leandro Augusto. Acompanhado de um amigo de profissão, ele comeu tudo que tinha direito. ” Igual um cachorro amarrado que quando você solta ele corre. pula na gente, não sabe o que ele faz. A gente ficou igual aqui, não sabíamos o que comíamos, porque se resumiu a tão poucas coisas que poderíamos fazer que a gente começa a dar valor a algumas liberdades que a gente tem, essa facilidade que temos em São Paulo. Estava cada vez mais difícil manter a cabeça fria nessa quarentena”, opina o médico.

Ir a uma churrascaria faz parte da cultura do brasileiro que tava com saudade de uma picanha fininha, maminha, um cupim, enfim, de ter essa variedade. O empresario Wilson veio da praia grande e finalmente conseguiu concretizar um almoço que estava marcado há mais de seis meses. “É uma coisa que a gente já tinha programado de vir aqui prestigiar um amigo e a gente teve que adiar por causa de tudo isso, porque o mundo mudou. Sensação de liberdade, do calor humano né, da gente olhar no olho, conseguir conversar e bater um papo, saber que está legal, que está com saúde é o que importante né.

Uma mudança feita pelo restaurante foi propor o cardápio online por meio do QR code da câmara. Outra novidade está relacionada com o buffet de saladas, que agora são servidas pelos funcionários e não mais pelos próprios clientes, como explica do diretor do Fogo de Chão, Paulo Antunes. Os clientes estão voltando aos poucos, com o salão recebendo 40% da capacidade total da unidade. Com o retorno às atividades, a empresa também está recontratando funcionários que foram demitidos durante o período de portas fechadas.

*Com informações do repórter Victor Moraes