Cláudio Castro quer boa relação com o governo Bolsonaro

O governador em exercício reconhece que sem a ajuda do governo federal não será possível sair da grave e aguda crise fiscal

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2020 08h38 - Atualizado em 08/10/2020 08h47
MAGA JR/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDOCláudio Castro, governador em exercício do Rio

Em um tom totalmente diferente do governador afastado Wilson Witzel, o chefe do Executivo em exercício, Cláudio Castro, afirmou que pretende ter uma boa relação com o presidente Jair Bolsonaro. Ele acrescentou que sem a ajuda do governo federal o estado não vai conseguir sair da grave e aguda crise fiscal. Castro, que assumiu após Witzel ser afastado por 180 dias primeiro pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e depois pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), pregou diálogo com a União e lembrou que as boas relações serão importantes, inclusive, para a renovação do acordo de recuperação fiscal e para alongar o pagamento de uma dívida com o governo federal na ordem de mais de R$ 10 bilhões. “O Rio precisa dessa ajuda do governo federal, tem uma situação fiscal complicadíssima e a gente olhar para frente e precisa dialogar. Sem o governo federal, realmente, a gente fica em uma situação muito difícil em um ano de renovação do regime de recuperação”, disse.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga