CNJ vai investigar visita de desembargador a Sérgio Cabral na cadeia

Dois procedimentos foram abertos, um para apurar o encontro, e outro para investigar o acesso de autoridades e magistrados ao sistema prisional do Estado

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2022 10h40
Agência Brasil Sergio Cabral é réu em mais de 30 ações que tramitam na Justiça do Rio e do Paraná Ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral sendo preso pelas autoridades do Rio de Janeiro

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, recebeu visita, na cadeia, d0 desembargador Ciro Darlan, que está sendo investigado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pelo ato. O encontro teria durado cerca de meia hora e aconteceu no Batalhão Especial Prisional, em Niterói, em abril deste ano. Darlan preside uma câmara criminal que analisa processos contra o ex-governador. Ao tomar conhecimento da visita a Vara de Execuções Penais decidiu acionar o CNJ. Dois procedimentos foram abertos, um para apurar a visita e outro para investigar o acesso de autoridades e magistrados ao sistema prisional do Estado, o que é um desvio de conduta, segundo especialistas. O desembargador já presidiu sessões envolvendo o caso de Cabral, mas depois da revelação da visita teria se afastado dos processos. O ex-governador do Estado já foi condenado a mais de 400 anos de prisão e está detido desde 2016 por liderar um esquema de corrupção que praticamente quebrou o estado. Cabral é réu em mais de 20 processos na Justiça do Rio e do Paraná. Já Ciro Darlan chegou a ser investigado por acusações de venda de sentenças e corrupção passiva. O filho do desembargador chegou a ser preso por envolvimento no suposto esquema. Darlan foi afastado de suas funções na Justiça fluminense até que, no ano passado, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Edson Fachin decidiu arquivar a denúncia contra o desembargador, que retomou as atividades no Poder Judiciário.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga