Cobras criadas em cativeiro levam à prisão em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2020 06h55 - Atualizado em 10/07/2020 08h10
PixabayA polícia apreendeu tês cobras venenosas, das especies cascavel e urutu no apartamento do rapaz, em Mogi das Cruzes

O jovem Charlie Venom, de 21 anos, cria cobras ilegalmente há pelo menos quatro anos. Ele foi detido em Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo, e afirma amar os animais e também era amado por eles. O rapaz fazia vídeos e postava no seu canal no youtube, que tem mais de 35 mil inscritos. Em um deles, Charlie mostra as presas da cascavel e depois enche a cobra de beijos.

Em outro vídeo, uma das cobras aparece atacando um porquinho-da-índia, que agoniza até a morte. A polícia apreendeu tês cobras venenosas, das especies cascavel e urutu no apartamento do rapaz, em Mogi das Cruzes. O veterinário do centro de zoonoses da cidade, Jefferson Leite, participou do resgate dos animais e disse que as três cobras são venenosas, mas estavam sempre bem alimentadas.

As investigações começaram há 20 dias, depois que os policiais receberem uma denúncia de maus-tratos, feita pela Delegacia Eletrônica de Proteção Animal. O homem foi ouvido e liberado e agora vai responder em liberdade por praticar ato de abuso a animais, incitação ao crime, matar espécie da fauna silvestre e perigo para a vida ou saúde do outro.

Ainda nesta semana, em Brasilia, um estudante de veterinária de 22 anos entrou em coma após ser picado por sua própria cobra, uma naja, extremamente venenosa. O rapaz tomou o soro antiofídico e está em estado grave em um hospital privado na Região Administrativa do Gama, a 30 quilômetros (km) do centro de Brasília.

Segundo o major Elias Costa, Batalhão de Polícia Militar Ambiental assim que soube do incidente, entrou em contato com a família do estudante para tentar recolher o animal. No entanto, a naja, que havia sido abandonada, foi encontrada próxima a um shopping da capital na quinta-feira (9). Ela foi encaminhada para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que investiga a procedência do animal.

Embora a legislação brasileira permita a criação de serpentes como animais de estimação no Brasil, no Distrito Federal, o Instituto Brasília Ambiental não emite autorização para criação de cobras peçonhentas. Além disso, a criação sem a permissão legal configura crime previsto em lei, alem de multa e apreensão do animal.

*Com informações do repórter Victor Moraes