Com baixa adesão, ‘coletes amarelos’ realizam novas manifestações na França

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2018 07h26
EFEApesar de perder força, dessa vez 220 pessoas foram detidas nos protestos

O sexto sábado seguido de manifestações reuniu cerca de 40 mil pessoas na França, 20 mil a menos que na semana passada. Apesar de perder força, dessa vez 220 pessoas foram detidas nos protestos que ficaram marcados por confusão e quebra-quebra nas ruas.

Em Paris, 142 pessoas acabaram presas. Durante confronto com os manifestantes, um dos policiais saca a arma e ameaça atirar. Encurralados, os policiais são obrigados a fugir.

O porta-voz do governo, Benjamin Griveaux, denunciou a face racista e golpista dos protestos, depois dos atos de violência. O balanço dos mortos em mais de um mês de protesto subiu para 10.

O Parlamento francês aprovou na sexta-feira as medidas de urgência de 10 bilhões de euros para reduzir a pressão fiscal e aumentar o poder aquisitivo da população. Mesmo assim, uma parte dos “gillets jaunes”, ou “coletes amarelos”, não parecem dispostos a encerrar a mobilização, que provocou a pior crise social desde que Emmanuel Macron chegou ao poder, há um ano e meio.

O setor comercial registrou um retrocesso médio de 25% em relação a um ano atrás por causa das manifestações.

*Informações do repórter Victor Moraes