Comissão da Câmara discute possibilidade para melhorar resgate de animais no Pantanal

Dentre as ideias apresentadas, uma que teve destaque o ‘Samu Silvestre’, que poderá percorrer longas distâncias para resgatar os animais

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2020 06h49 - Atualizado em 10/10/2020 06h50
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOJacaré carbonizado em incêndio nas proximidades da Rodovia Transpantaneira, em Poconé (MT). Esta é a maior série de queimadas na região nas últimas duas décadas, informa o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)

Diante das queimadas no pantanal, a situação da fauna do bioma tem sido motivo de preocupação. Por isso, a comissão externa da Câmara dos Deputados, que acompanha as ações relacionadas ao combate às queimadas na região pantaneira, dedicou a reunião desta sexta-feira, 9, a encontrar melhores soluções para o resgate dos animais. Além de parlamentares, a comissão teve a presença de profissionais que estão atuando no salvamento dessas vidas. Dentre as ideias apresentadas, uma que teve destaque foi a criação do “Samu Silvestre”. Como as distâncias percorridas para os resgates costumam ser grandes, a proposta é que ambulatórios móveis se locomovam até os animais.

A coordenadora de Equipe da Associação Mata Ciliar no Pantanal, Cristina Harumi, disse que a busca deve ser feita de forma rápida. Segundo ela, tem sido difícil salvar vidas silvestres, já que muitos bichos chegam extremamente debilitados. Durante a fala, Cristina Harumi se emocionou comentando a situação e questionando uma solução. “A intoxicação é muito grande e a morte de animais é muito grande”, disse. O veterinário Jorge Salomão, representante da Ampara Animal Silvestre é especializado em resgate de onças e reiterou o discurso da colega, dizendo que é preciso fazer mais pelo bioma. ” É muito ínfimo o que estamos fazendo, não adianta a gente romantizar, fazemos diferente para aquele que conseguimos dar tratamento digno, mas para o Pantanal mesmo isso é muito pequeno”, relatou.

O médico veterinário também falou sobre a importância de ambulâncias para facilitar o resgate, mas lembrou que além do socorro aos animais, é importante adotar medidas preventivas, que evitem as queimadas. Segundo o especialista, a estrutura é outro ponto que deve ser pensado. Os animais estão sendo levados para tratamento intensivo na Universidade Federal do Mato Grosso, mas o espaço tem ficado reduzido, e por isso, é necessário pensar em outros locais. Para o deputado Paulo Teixeira, do PT do Mato Grosso do Sul é necessário mais esforços das autoridades para conter os incêndios. O deputado professor Israel Batista, do Partido Verde, parabenizou os voluntários e brigadistas que têm atuado no resgate. O deputado também lembrou que, nesta época, outro bioma que também tem sofrido com as queimadas é o cerrado.

*Com informações da repórter Camila Yunes