Cônsul chinesa diz que São Paulo está à frente da colaboração entre Brasil e China

Na reunião virtual, o presidente da Alesp, Carlão Pignatari, lembrou das polêmicas entre as autoridades brasileiras e o país asiático

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2021 11h10 - Atualizado em 01/06/2021 13h05
Divulgação/ALESPA cônsul Chen Peijie lembrou que a China é o maior parceiro comercial do Brasil

A cônsul-geral da República Popular da China coloca o Estado de São Paulo à frente da colaboração do país com o Brasil. Chen Peijie participou da reunião da Comissão de Relações Internacionais, da Assembleia Legislativa. “Não só cooperação econômica e comercial, mas também no combate a pandemia. E eu falei sempre que o Estado de São Paulo está na frente na cooperação com o Brasil e a China. Sob a liderança do governador João Doria, ele já fez muitos trabalhos para liderar a cooperação com a China. E promover a nossa parceria.”

A cônsul Chen Peijie lembrou que a China é o maior parceiro comercial do Brasil. “Amigos, a China e o Brasil são duas economias emergentes importantes. E são parceria estratégica no desenvolvimento. O Brasil é primeiro país latino-americano cujo fluxo comercial com a China atingiu a marca de US$ 100 bilhões.” O secretário estadual de Relações Internacionais, Julio Serson, também participou da reunião virtual da Alesp. “Hoje o maior investidor externo no Estado de São Paulo é o país China. Através de investimentos públicos, privados, mistos. A China tem uma participação no programa de parcerias público-privadas que o vice-governador Rodrigo Garcia conduz tão bem.”

O presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB), lembrou das polêmicas entre as autoridades brasileiras e a China. “O presidente da República fica com essa negação dele, falta da importância. E a China é um país de extrema importância para todos nós. Não só na exortação dos produtos, mas também na compra das nossas vacinas. É de extrema importância colocar a Alesp sempre a disposição do que for possível para que a gente possa melhorar, juntos, cada vez mais esse relacionamento.” Os deputados reforçaram a parceria do Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac para a produção da vacina contra a Covid-19. E que, hoje, de cada 10 vacinas aplicadas no Brasil, sete são CoronaVac — além da liberação dos insumos da China ao país para conter a pandemia.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos