Crivella reage a pedido da Defensoria para decretação de estado de calamidade na saúde: ‘não tem moral’

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2018 06h13
Arquivo/Agência Brasil“A Defensoria do RJ não tem moral para falar um absurdo desse", disse Crivella

O prefeito do Rio de Janeiro reagiu à recomendação da Defensoria Pública para decretar Estado de Calamidade na Saúde do município. Nesta segunda-feira (22), Marcelo Crivella reagiu à recomendação devido à falta de insumos, leitos, profissionais e longas filas.

A Prefeitura está reprogramando como vai funcionar o Programa Clínica da Família em 2019 e vai destinar menos recursos para a Saúde no Orçamento do ano que vem.

Crivella disse que a recomendação foi política e anunciou R$ 12 milhões para o Hospital Albert Schweitzer. O dinheiro será utilizado para regularizar os salários dos funcionários.

“A Defensoria do RJ não tem moral para falar um absurdo desse. Quando foi que paramos um hospital, deixamos de atender, fechamos clínica de família? Não aceito que nenhum defensor público venha dizer que tem calamidade na rede pública municipal, porque estamos abrindo todas as portas. Não tem moleque aqui”, disse exaltado o prefeito.

A recomendação embasou-se em visitas e vistorias feitas em unidades públicas do município.

*Informações do repórter Rodrigo Viga