Doria afirma que famílias serão indenizadas se Estado for culpado pelas mortes em Paraisópolis

Governador disse que tomaria as mesmas ações que realizou com os parentes das vítimas do massacre em Suzano

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2019 08h32
Felipe Rau/Estadão ConteúdoAs falas foram feitas durante o anúncio do programa Operação Verão mais Seguro

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou que as famílias das vítimas da tragédia de Paraisópolis serão indenizadas se o Estado for culpado pelas mortes.

Questionado, Doria disse nesta sexta-feira (13) que tomaria as mesmas ações que tomou com os parentes das vítimas do massacre em Suzano, que aconteceu
em março deste ano. No entanto, ele frisou diversas vezes que não se pode julgar um caso cujas investigações ainda não terminaram.

Doria reforçou que a apuração sobre a ação policial em Paraisópolis segue sendo tocada com transparência. “Temos que aguardar o final do inquérito, o Estado não pode precipitar juízo a esse respeito. Se na conclusão houver circunstância que o estado tenha culpa, vamos agir como agimos na escola Raul Brasil, em Suzano, pagando as indenizações”.

O governador e o secretário da Segurança Pública, João Campos, não comentaram  os resultados dos exames dos corpos dos nove jovens. Conforme divulgado
pela Folha de São Paulo nesta sexta-feira (13), o laudo indica que as lesões no corpo dos jovens seriam condizentes com pisoteamentos.

A apuração do que aconteceu em Paraisópolis corre por duas frentes: na corregedoria da Polícia Militar, que investiga a ação dos policiais, e na Polícia Civil.
O Ministério Público de São Paulo também acompanha o caso.

Segundo o secretário da segurança, general Camilo, a pasta só vai se posicionar após o término das investigações. “Com relação à operação Paraisópolis vamos aguardar os inquéritos. Tem dois inquéritos em curso e é prudente que esperemos a solução deles”.

As falas foram feitas durante o anúncio do programa Operação Verão mais Seguro, que visa garantir segurança nas rodovias neste final de ano e vai acontecer com a parceria entre as secretarias de logística e transportes, saúde e segurança pública.

* Com informações do repórter Leonardo Martins