Doria critica PT e afirma que vai disputar com Lula o segundo turno das eleições

Governador de São Paulo falou sobre possível chapa conjunta com Sergio Moro e reforçou postura de oposição ao ex-presidente: ‘Não esqueço o Petrolão’

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2022 10h19 - Atualizado em 10/01/2022 10h20
BRUNO ESCOLASTICO / PHOTOPRESS / ESTADÃO CONTEÚDO Governador João Doria: homem usando terno azul escuro e máscara preta segurando microfone João Doria também citou entre os pontos de destaque do seu governo à frente de São Paulo

O governador João Doria, pré-candidato à presidência da República, enxerga o ex-presidente Lula como seu principal adversário nas eleições de 2022. O tucano considera que a polarização atual entre o petista e o presidente Jair Bolsonaro deve esfriar nos próximos meses, dando lugar a um candidato da chamada terceira via no segundo. “Não quero ser desrespeitoso ao presidente, mas Lula será o candidato que vai disputar o segundo turno e é com ele que vamos disputar”, afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, reforçando sua forte oposição ao Partido dos Trabalhadores. “Serei um adversário duríssimo em relação ao ex-presidente Lula e ele já sabe disso. Eu tenho afirmado que não esqueço o Petrolão e as máximas do PT que os fins justificam os meios, que pode roubar o dinheiro público para, em nome disso, de fazer políticas públicas para os mais pobres e mais humildes. Não, não se pode roubar o dinheiro público sob nenhuma alegação”, completou.

Sobre os resultados das pesquisas de intenção de voto, que mostram Lula e Bolsonaro no segundo turno, Doria afirmou que “o retrato de hoje não é o de amanhã”, mas que a tendência é de mudança e inserção da “melhor via” na disputa. O governador também reconheceu que cultiva uma boa relação com o também pré-candidato Sergio Moro, ex-ministro da Justiça, e não descarta uma possível aliança para a disputa. “Temos que estar abertos ao diálogo e a terceira via tem que se materializar em um nome. Divididos não venceremos”, ponderou.

João Doria citou entre os pontos de destaque do seu governo a ampliação de escolas integrais, de 364 para 2.048 estabelecimentos, o vale gás e o programa Bolsa do Povo, além dos aspectos econômicos, como o crescimento 50% maior do Estado em comparação com o PIB brasileiro e a geração de um milhão de empregos. “Não somos uma promessa, nós somos e realizamos um governo transformador, que dedicou sua atenção às pessoas e a existência das pessoas”, completou o governador.