Eduardo Bolsonaro diz que vazamentos de conversas querem desgastar o Governo

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2019 08h24 - Atualizado em 11/06/2019 10h14
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados Eduardo Bolsonaro evitou falar sobre possíveis consequência do vazamento das mensagens e criticou quem enxerga veracidade nas informações

O deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (10) que os vazamentos de conversas entre o então juiz federal Sergio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol parecem um plano arquitetado para desgastar o governo

O filho do presidente da República, no entanto, evitou comentar se os vazamentos provocariam a queda do ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro ou se afetariam o governo de Jair Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro também acredita que uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o caso não vai se concretizar. “Exatamente as pessoas que mais reclamavam de vazamentos agora estão falando, como é a favor deles teoricamente, eles estão querendo validar isso. O que eu vejo é que isso não vai prosperar. As conversas vieram a tona de maneira bem suspeita, parece que é realmente algo arquitetado para desgastar o Governo.”

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann, do PSL, também comentou o caso nesta segunda-feira em evento em São Paulo. Ela disse que conversou com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre o assunto ele afirmou que ela poderia ficar “absolutamente tranquila”.

“Ele me garantiu que não há qualquer desvio de conduta legal ou moral, que as mensagens foram colocadas fora do contexto. E eu acho o seguinte: a gente tem que esperar para ver realmente o que aconteceu sem ficar fazendo papel, neste momento, de juiz.”

Ao lado da deputada federal, o governador de São Paulo João Doria também pediu cautela nas avaliações sobre os vazamentos. “Acho que nós temos que primeiro certificar e avaliar, não precipitar manifestações, nem decisões, muito menos juízos. Então acho que esse é o momento de ter um pouco de cautela até termos informações mais concretas antes de fazer qualquer avaliação.”

No último domingo (9), o site The Intercept Brasil divulgou conteúdo de mensagens atribuídas ao então juiz federal Moro e integrantes do Ministério Público Federal.

*Com informações da repórter Victoria Abel.