Em fórum com empresários, Bolsonaro exalta parceria do Brasil com países árabes

Presidente destacou que foi o primeiro chefe de estado brasileiro a visitar duas vezes, no mesmo mandato, a região do Golfo

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2022 08h37
Fotos: Alan Santos Jair Bolsonaro Jair Bolsonaro destacou a aproximação do Brasil com os países árabes durante seu mandato

O mundo árabe é o terceiro maior cliente do mercado brasileiro, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. Em 2020, o Brasil e os países da liga árabe alcançaram mais de US$ 24 bilhões em novos negócios. Durante fórum econômico que reúne líderes empresariais e autoridades do Brasil e de 22 países do bloco árabe, o presidente Jair Bolsonaro gravou um vídeo para celebrar a parceria do Brasil e os países e destacou que foi o primeiro chefe de estado brasileiro a visitar duas vezes, no mesmo mandato, a região do Golfo.

“O Brasil intensificou suas relações com o mundo árabe… Em minha última viagem inaugurei uma nova embaixada no Bahrein. Contamos hoje com 18 representações diplomáticas dentre os 22 países que integram a liga árabe. Com o fim das restrições da pandemia, a retomada dos encontros de alto nível é outro sinal deste compromisso”, declarou Bolsonaro.

O presidente também disse que, além do comércio das carnes de frango e bovina, crescem as exportações brasileiras de açúcar, soja e trigo: “O elo entre o Brasil e o mundo árabe se fortalece. Nem diante dos desafios impostos pela pandemia deixamos de desempenhar o nosso papel no suprimento de alimentos. O Brasil é hoje o maior exportador de proteína halal no mundo…Por outro lado, 26% dos fertilizantes que abastecem o agronegócio brasileiro vem do mundo árabe”.

O secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz, que participou do evento no lugar do ministro da Economia Paulo Guedes listou os desafios do Governo Federal em meio à pandemia: “Desde 2019, o governo tem trabalhado em dois eixos principais: redução do Custo Brasil e maior inserção internacional da economia brasileira. No campo da redução do Custo Brasil, várias reformas foram feitas, vários novos regulamentos foram aprovados, várias leis, vários marcos regulatórios. Eu citaria alguns como, por exemplo, o novo marco do saneamento básico, o novo marco do gás natural, leilão do 5G aprovado no Brasil, fizemos também a reforma da previdência, independência do Banco Central, nova lei do ambiente de negócios, lei de liberdade econômica. Ou seja, uma infinidade de medidas voltadas à redução do Custo Brasil”.

*Com informações do repórter Maicon Mendes