Engenheiro vai a júri por matar a ex-mulher na frente das filhas no Rio

Paulo José Arronenzi foi denunciado pelo Ministério Público por crime cometido por meio cruel, por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2021 08h38 - Atualizado em 22/06/2021 11h36
Reprodução/Google Maps Fachada do Ministério Público do Rio de Janeiro Paulo José Arronenzi foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por homicídio qualificado da ex-esposa

O engenheiro Paulo José Arronenzi, que matou a ex-esposa na presença das três filhas no dia de Natal, em 2020, vai a júri popular. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por homicídio qualificado da ex-esposa, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arantes. Segundo o MP, o crime foi cometido por meio cruel, por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima. Além disso, a barbaridade aconteceu na presença das três filhas do casal, de 7 e 10 anos de idade, que ainda apelaram pra que o pai parasse com a agressão, mas ele continuou desferindo golpes na ex-esposa. Arronenzi estava inconformado com o fim do relacionamento. O engenheiro estava consciente e agiu voluntariamente quando começou a desferir diversas facadas contra Viviane. Foi no momento em que ele estava entregando as três filhas pra que elas pudessem passar o dia de Natal com a mãe. O autor do feminicídio foi detido logo em seguida, está preso e aguarda julgamento. A perspectiva é que ele vá a júri popular ainda este ano. Durante a pandemia, soltaram vertiginosamente os casos de feminicídio no Rio e também em todo o Brasil. Somente no Estado, de janeiro a abril de 2021, foram mais de 30 ocorrências, um salto de 50% em relação ao igual período do ano passado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga