‘Estamos nos preparando para um eventual cenário de 3ª onda’, afirma Edson Aparecido

De acordo com o secretário de Saúde de São Paulo, ao observar outros países, não há menor sombra de dúvida de que a situação pode se repetir por aqui

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2021 09h23 - Atualizado em 03/05/2021 10h03
JHONY INÁCIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 21/04/2021 Aparecido explicou que toda essa infraestrutura montada agora ficará para a cidade mesmo após o fim da pandemia

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, anunciou a entrega de mais 40 leitos de UTI equipados para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Hospital Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho, na região do Jabaquara. De acordo com ele, mesmo com a ocupação de 80% na terapia intensiva e 80% nas enfermarias do município, os números ainda são altos e merecem atenção. “Nesse fim de semana tivemos uma movimentação grande de pessoas e isso impacta na transmissibilidade. Estamos nos preparando para situações que podem indicar agravamento, mas tudo tem limite. A cada pico os leitos se esgotam rapidamente.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Aparecido chamou a atenção para a possibilidade de uma terceira onda da doença mesmo após o início da imunização. “Todos os nossos técnicos levam em conta os números e cenários da cidade e do país. Média móvel de casos, internações e óbitos. Mas sempre procuramos olhar os países em que o processo da pandemia é mais antigo. Na Ásia e na Europa, acompanhamos a 1ª e a 2ª onda. Aqui teve da mesma forma e com o agravante da variante P1, de Manaus, que é mais letal. E agora, olhando para esses países, é possível perceber um enfrentamento da 3ª onda. Não há menor sombra de dúvida de que esse cenário pode se repetir. Por isso alertamos da necessidade de seguirem as medidas sanitárias de não se aglomerar, usar corretamente a máscara. Estamos nos preparando para um eventual cenário de 3ª onda.”

O secretário municipal de Saúde explicou que, ao contrário dos hospitais de campanha, toda essa infraestrutura montada agora ficará para a cidade mesmo após o fim da pandemia. Apenas no último ano, dez hospitais municipais foram abertos em São Paulo e todos vão permanecer. O secretário ainda afirmou que eles devem ser referenciados para atender melhor à população: o da Bela Vista será especialista na população de rua, de Santo Amaro, em pretos e pardos; da Mooca, em idosos, etc. Sobre a baixa procura pela segunda dose da vacina, Edson Aparecido afirmou que os servidores estão fazendo uma busca ativa para lembrar as pessoas de completar a imunização.