Estudante que testar positivo para a Covid-19 a partir do dia 1º não poderá fazer prova da Fuvest

Orientação consta no manual divulgado pela instituição nesta segunda; indicação vale para infectados a partir de 1º de janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2020 05h23 - Atualizado em 15/12/2020 09h22
Estadão ConteúdoOs vestibulandos que tiverem contato com alguém infectado ou aqueles com suspeita da doença também não devem comparecer aos locais de prova

Quem testar positivo para o coronavírus a partir do primeiro dia do ano não poderá realizar a primeira fase da Fuvest 2021, em 10 de janeiro. A orientação consta no manual divulgado nesta segunda-feira, 01, pela instituição responsável por preparar o vestibular da Universidade de São Paulo (USP), um dos mais concorridos do país. De acordo com o documento, os vestibulandos que tiverem contato com alguém infectado ou aqueles com suspeita da doença também não devem comparecer aos locais de prova.

A Fuvest não exigirá exames para admitir os candidatos nos locais de prova, nem fará medições de temperatura na porta, porque não considera a medida efetiva. Caso alguém teste positivo após o exame, deve procurar a instituição e informar o resultado. Também não haverá prova substitutiva para quem não conseguir realizar na data prevista. A recente volta à fase amarela em todo o estado de São Paulo não alterou o protocolo de segurança que a Fuvest já adotaria.

A maior novidade é o veto à alimentação durante o exame: nada de lanchinho nas salas. Quem quiser comer deverá pedir permissão ao fiscal, que o levará a um local demarcado pela organização, e o tempo gasto ali não será reposto na prova. Além da utilização obrigatória de máscara, os candidatos deverão manter distância de um metro e meio entre si e as salas terão ocupação máxima de 40%. Segundo a Fuvest, aglomerações nos corredores antes do início da prova também devem ser evitadas. Para saber onde farão a prova, os candidatos devem acessar o site da instituição.

*Com informações da repórter Letícia Santini