Evo Morales é reeleito na Bolívia, mas OEA e UE pedem segundo turno

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2019 06h47
EFEPresidente fará seu quarto mandato no país

Após cinco dias de contagem, a apuração da eleição presidencial da Bolívia chegou ao fim nesta quinta-feira (24), apontando a reeleição do atual presidente, Evo Morales, ainda no primeiro turno. Com 47, 04% dos votos, o representante do partido Movimento ao Socialismo venceu Carlos Mesa, que contabilizou 36,51% dos votos.

Mesmo assim,  diante dos questionamentos sobre o resultado, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Europeia (UE) pediram que seja realizado o segundo turno. Caso seja confirmada a vitória de Morales, ele irá para o quarto mandato como presidente da Bolívia.

De acordo com as normas eleitorais do país, um candidato vence a eleição em primeiro turno se obtiver maioria absoluta, ou se conseguir mais de 40% dos votos e ao mesmo tempo abrir uma vantagem mínima de 10 pontos percentuais diante do segundo colocado.

Caso fossem contabilizados apenas os votos dos eleitores que estão na Bolívia, haveria o segundo turno. No entanto, a vitória de Morales foi definida pelos bolivianos que moram fora do país.

Desde domingo (20), quando ocorreram as eleições, a contagem dos votos gerou polêmica e manifestações. Isso porque estavam sendo usados dois métodos de apuração: o preliminar, que fazia uma contagem mais rápida, e o voto a voto, mais lento. Mas houve uma divergência na contagem, que, na preliminar, apontava a vitória de Morales e, no voto a voto, indicava eleições no segundo turno.

*Com informações da repórter Camila Yunes