Falências crescem 50% em agosto e continuam em alta na pandemia

Pesquisa da Serasa Experian mostra que área do comércio lidera requisições de recuperação judicial; dificuldade dos consumidores para fechar contas pode ser motivo

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2021 06h45
REUTERS/Carla CarnielPeríodo de comércio fechado pode ter influenciado no número de falências no país

Os pedidos de recuperação judicial cresceram 50% em agosto, a maior marca em 2021. O comércio lidera as requisições com 43% dessas solicitações, de acordo com o Indicador de Falências e Recuperação Judicial, da Serasa Experian. O advogado Vinícius Hunke ressalta que os pedidos podem ser causados pela elevação dos riscos econômicos no Brasil, após impactos políticos, crise hídrica e a inflação em alta. Os consumidores cada vez mais têm dificuldades para fechar as contas, o que explica os setores mais atingidos: o comércio e as pequenas empresas. “A dificuldade a curto prazo vai continuar, principalmente porque ano que vem será um ano político, a gente vai ter eleição para presidente, várias pessoas discutindo e comentando sobre política e aí a incerteza vai permanecer. A tendência é que a inflação continue aumentando e, consequentemente, os juros vão subir dificultando a retomada de crédito”, analisou. A Serasa Experian ressalta que somente de janeiro a abril, o Brasil perdeu 139 mil micro e pequenas empresas, quase um terço das falências registradas em 2020. No ano passado, 502 mil pequenos negócios fecharam suas portas, após o início da pandemia do coronavírus.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos