Federação das Santas Casas alerta para falta de leitos de UTI em São Paulo

Levantamento aponta que a taxa média de ocupação de leitos para Covid-19 no estado é de 89%

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2020 06h29 - Atualizado em 14/12/2020 10h36
EFE/EPA/JUSTIN LANE/Archivo Desde o início da pandemia, 181.402 pessoas não resistiram às complicações da doença

São Paulo continua liderando o ranking de estados mais afetados pela pandemia, com 1,3 milhão de casos da doença e 44 mil óbitos pela Covid-19. Um levantamento da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes aponta que a taxa média de ocupação de leitos de UTI para a Covid-19 no estado é de 89%. As Santas Casas da capital e de cidades próximas, como São Bernardo do Campo, Campinas e Sorocaba, estão com ocupação superior a 80%. Já em algumas regiões do interior do estado, o índice está entre 60 e 70%; com exceção de Ourinhos e Araraquara, que já estão com todos os leitos ocupados. O diretor-presidente da Fehosp, Edson Rogatti, afirma que o cenário é preocupante. “A situação é gravíssima, a gente fala de leitos de UTI de Covid-19, porque temos leitos de UTI disponível. Mas o que nos preocupa são os leitos de UTI de Covid. A situação não só em São Paulo [capital] e na Grande São Paulo, mas no interior também é muito grave.”

Segundo Edson Rogatti, as Santas Casas e os hospitais filantrópicos estão à disposição do Ministério da Saúde para a ampliação do atendimento. “O que a gente está pedindo é que o Ministério da Saúde habilite esses leitos para as Santas Casas. Então, essa semana, tivemos várias reuniões. Esperamos que o ministério entenda a situação, que é grave, e possa habilitar mais leitos para as Santas Casas, para que a gente possa dar atendido à população, especialmente em São Paulo”, diz. Para o diretor-presidente da Fehosp, as aglomerações, principalmente entre os mais jovens, explicam o aumento de infecções no estado. Edson Rogatti ressalta que, se o ritmo continuar assim, muitos hospitais não terão condições de atender todos os pacientes. Ele reforça que enquanto a vacina contra a Covid-19 não estiver disponível, o isolamento social continua sendo a única maneira eficaz de conter a doença. Com 21 mil novos casos registrados em 24 horas, o Brasil se aproxima dos 7 milhões de infectados pelo coronavírus. Desde o início da pandemia, 181.402 pessoas não resistiram às complicações da doença. Foram 279 novas mortes contabilizadas entre sábado e domingo, 13.

*Com informações da repórter Letícia Santini