Festas clandestinas se espalham no Carnaval do Rio e preocupam autoridades

Em meio ao aumento de casos da Covid-19, eventos ilegais causam aglomerações na capital fluminense

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2021 09h19 - Atualizado em 15/02/2021 10h24
CLAUDIA MARTINI/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDODe sexta-feira até o domingo, o Rio de Janeiro foi palco de concentração de pessoas e aglomerações, tanto nas festas quanto nas praias

Mesmo com o alto índice da Covid-19 e com os apelos das autoridades, teve Carnaval neste final de semana no Rio de Janeiro. A folia irregular não foi como o tradicional evento, que contavas com blocos desfilando pelas ruas e avenidas ou escolas de samba na Marquês de Sapucaí. Neste ano, foram festas ilegais e clandestinas na Zona Norte, Oeste, Zona Sul e no centro da capital fluminense que marcaram os primeiros dias de folia em meio à pandemia. A prefeitura do Rio mobilizou mil homens de diversos órgãos para reprimir as concentrações e festas irregulares. A Política Militar destacou 14 mil agentes para Operação Carnaval e montou barreiras nos principais acessos à capital fluminense. De sexta-feira até o domingo, o Rio de Janeiro foi palco de concentração de pessoas e aglomerações, tanto nas festas quanto nas praias. Vigilância sanitária, secretaria de Ordem Pública e Guarda Civil atuaram na repressão de eventos, estimando multa de pelo menos 25 estabelecimentos, eventos e festas e interdição de 14 locais. Nesta segunda-feira, 15, o apelo das autoridades continua, com multas sendo aplicadas. Na capital, a Prefeitura cancelou o ponto facultativo desta segunda, mas o Estado manteve o feriado desta terça-feira, o que pode incentivar novas aglomerações.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga