Fiocruz admite poucos testes em idosos, mas reafirma segurança de vacina

Infectologista membro do Comitê de Vacinas da OMS ressaltou que as aplicações em idosos até o momento demonstraram ‘plena segurança ’do imunizante

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2021 09h34
EFE/ FABIO MOTTAFiocruz divulgou comunicado sobre o assunto

Depois de dúvidas levantadas por cientistas alemães nos últimos dias sobre a segurança da vacina de Oxford/AstraZeneca em idosos, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) veio a público nesta sexta-feira, 30, defender o imunizante, que já é aplicado de forma emergencial no Brasil. Em comunicado, a fundação garantiu que as evidências apresentadas até o momento e publicadas em revistas científicas especializadas confirmam a segurança e a produção de anticorpos por parte da vacina na população mais velha. Pelo resultado da fase 3 dos ensaios clínicos, não há contraindicações para a imunização de idosos com a vacina. A Fiocruz destacou, ainda, que segundo o fabricante o imunizante é indicado para todas as pessoas com pelo menos 18 anos de idade e sem limite máximo.

A infectologista Cristiana Toscano, membro do comitê de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma em entrevista à Jovem Pan que todos os testes em idosos demonstraram até agora plena segurança. “A gente está elaborando uma recomendação que deve ser disponibilizada e publicada na semana do dia 8 de fevereiro, que é a recomendação do grupo estratégico de imunizações da OMS. Todas essas recomendações enfatizam as evidências de segurança e as evidências de imunogenicidade, que são bastante contundentes”, afirmou. No Brasil, o uso emergencial da vacina de Oxford foi autorizado com a observação de que o número de participantes com 65 anos de idade ou mais ainda era pequeno.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga