Fiocruz deve apresentar nesta sexta pedido para uso emergencial da vacina contra Covid-19

Até o momento, a Anvisa não recebeu nenhum pedido de autorização emergencial ou definitiva de vacinas no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2021 06h37 - Atualizado em 08/01/2021 10h22
EFE/EPA/OXFORD UNIVERSITY Dose de vacina em primeiro plano. Ao fundo, uma pessoa sendo vacinada Ao todo, mais de dez mil voluntários participaram dos testes da vacina da Fiocruz no Brasil

Além da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, a expectativa para esta sexta-feira, 08, é que a Fundação Oswaldo Cruz, em conjunto com a AstraZeneca, entre com pedido de liberação emergencial da vacina de Oxford. Técnicos da fundação voltaram a se reunir nesta quinta-feira com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. Segundo o jornal Valor Econômico, no encontro, os representantes do laboratório comprometeram-se a reunir todos documentos necessários para a solicitação de uso do imunizante.

Ao todo, mais de dez mil voluntários participaram dos testes da vacina da Fiocruz no Brasil. O infectologista Alexandre Naime diz que o mais importante agora é desafogar o sistema público de saúde. “Em um segundo momento, lógico, se conseguir alguma estratégia de vacina que impeça a transmissão e que nos permita viajar, ter uma vida mais próxima do que é considerado normal, ótimo. Mas, no primeiro momento, o mais importante é salvar vidas”, explica. Em nota, a Anvisa informou que tem atendido todos os laboratórios que estão desenvolvendo vacinas a fim de orientar e esclarecer questões técnicas para a avaliação dos imunizantes contra a Covid-19. Até o momento, a agência não recebeu nenhum pedido de uso emergencial ou de registro definitivo de vacinas no Brasil. Além da vacina de Oxford e da CoronaVac, estão em teste no país as vacinas da Johnson e da Pfizer, ainda sem previsão de liberação.

*Com informações do repórter Fernando Martins