Flávio Bolsonaro é inocente, garante advogado do senador em caso da ‘rachadinha’

Roca pede que o STF arquive a ação do MP-RJ contra o foro privilegiado do ex-deputado estadual

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2020 09h57 - Atualizado em 14/07/2020 10h01
Pedro França/Agência SenadoRodrigo Roca destaca, porém, que apesar dos sinais claros "nunca falou em perseguição política"

O advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Rodrigo Roca, negou rachadinha na Alerj e afirmou que o filho de Jair Bolsonaro é inocente de tudo o que se está falando “sobre sua pessoa, reputação e família”. Em entrevista ao Jornal da Manhã, ele disse que o filho 01 do presidente não tem medo de uma eventual delação premiada do seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, porque “não se pode temer a verdade”.

Roca pede que o Supremo Tribunal Federal (STF) arquive a ação do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o foro privilegiado do ex-deputado estadual. Para ele, o único pedido é por um tratamento igualitário. “O deputado Márcio Pacheco, que também foi denunciado por rachadinha, está sendo investigado por fatos que seriam de mandato anterior. Nesse caso, ninguém teve dúvida de dirigir a denúncia ao Órgão Especial. Ambos estão em cargos novos no Legislativo”, alegou.

Rodrigo Roca destaca, porém, que apesar dos sinais claros “nunca falou em perseguição política“. “A questão jurídica é que esta muito embaçada. Ela precisa evoluir para que essas questões sejam diluídas. Não se conseguiu, até o momento, chegar em um planejamento de estrategia de defesa quanto ao mérito porque há uma disputa muito grande para se saber qual seria o foro competente para julgá-lo. Isso dificulta muito.”

A defesa do senador também reforçou que “não houve fuga” por parte de Flávio. “Em 10 volumes ele não foi chamado para ser ouvido. Isso é necessário, não para ele como para qualquer pessoa. Todos tem o direito de ser ouvido. Isso não é justo, legal ou apropriado. Se houve algum atraso por conta dessa discussão [referente ao foro competente por julgar o caso], não é por culpa da defesa.”