Fux fala em ‘acompanhar ciência’ ao listar medidas sanitárias no retorno das sessões presenciais do STF

Suprema Corte exigirá o passaporte da vacina ou teste negativo de Covid-19 para permitir a entrada dos ministros e servidores

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2021 06h45 - Atualizado em 04/11/2021 11h10
Carlos Humberto/SCO/STFPresidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux

Depois de um ano e oito meses de trabalhos online, o Supremo Tribunal Federal (STF) começou a retomada gradual das atividades de forma presencial na última quarta-feira, 03. As sessões plenárias e das turmas serão realizadas com o presença dos ministros e servidores. Na abertura dos trabalhos, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, ressaltou a importância da retomada: “Eu queria manifestar a minha satisfação de ver os colegas de boa saúde e aqui presentes, onde já podemos trocar o nosso calor humano, tão importante para a coesão da Corte”.

Os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes foram os únicos que participaram da sessão de forma online, por razões pessoais. Agora, advogados podem apresentar manifestações tanto no próprio plenário quanto por videoconferência. Na entrada da Corte é feita a aferição de temperatura e é obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação. Quem não estiver vacinado deve apresentar o teste RT-PCR ou antígeno negativo, realizados 72 horas antes. O uso de máscaras dentro do Supremo continua obrigatório. Apesar da retomada, o STF pode voltar para o formato online em caso de alta na taxa de contaminação por Covid-19 no Distrito Federal. Visitas guiadas, acesso ao museu, biblioteca e restaurante pelo público externo estão vetadas.

*Com informações da repórter Camila Yunes