General Girão defende ampliação da participação das Forças Armadas no processo eleitoral

Deputado federal afirma que os militares devem participar inclusive da transmissão dos votos eletrônicos: ‘A quem interessa não ter transparência nas eleições?’

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2022 08h17 - Atualizado em 25/04/2022 08h18
Divulgação/Dep. General Girão Deputado General Girão analisa trocas nas Forças Armadas Declaração de General Girão acontece um dia após o ministro falar sobre tentativas de politização do Exército, da Marinha e da Aeronáutica

O deputado federal General Girão (PL) rebateu as falas do ministro Luis Roberto Barroso a respeito do uso das Forças Armadas para ataques ao sistema eleitoral. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, nesta segunda-feira, 25, o parlamentar questionou a segurança das urnas eletrônicas ao afirmar que nenhum equipamento eletrônico “está imune” e que as urnas “são fraudáveis sim”. “Isso é uma realidade no mundo todo. Infelizmente, não é realidade na cabeça desse ministro Luís Roberto Barroso, que negou mais transparência. […] Todo e qualquer equipamento eletrônico está passível de ser invadido”, afirmou o deputado, que é general do reserva e defende maior presença das Forças Armadas no processo eleitoral. “As Forças Armadas precisam participar de todo processo eleitoral, inclusive da transmissão do voto eletrônico. A quem interessa não ter transparência nas eleições?”, questionou.

“O que nós queremos, o que a população brasileira quer é mais transparência, mais segurança e garantia que o meu voto vai ser representado autenticamente. Essa é a grande verdade. Cumprimento o ministro Paulo Sérgio pela resposta imediata a algo feito por esse vagabundo [Luís Roberto Barroso]. Me desculpem, não aceito que um ministro queira dizer que está defendendo a democracia. Eles estão prostituindo a palavra democracia”, afirmou General Girão, que invocou o 53º da Constituição Federal no início da entrevista. “Me garante inviabilidade por quaisquer opiniões, palavras e votos”, completou, em clara atitude pela condenação do deputado federal Daniel Silveira, que recebeu pena de 8 anos e 9 meses de prisão pela Suprema Corte por ataques proferidos contra ministros

A fala de General Girão acontece um dia após o ministro Luis Roberto Barroso defender a integridade das urnas eletrônicas e falar sobre tentativas de politização do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. “Gentilmente convidadas para participar do processo, estão sendo orientadas para atacar o processo e tentar desacreditá-lo”, disse Barroso no fórum ‘Brazil Summit Europe’, em Berlim, em referência ao convite feito pelo  Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a representantes das Forças Armadas para participarem da Comissão de Transparência, que analisa o processo de apuração eleitoral e o uso das urnas eletrônicas nas eleições deste ano. Na visão do Ministério da Defesa, no entanto, as falas de Barroso são “irresponsáveis” e uma “grande ofensa” aos militares. “Além disso, afeta a ética, a harmonia e o respeito entre as instituições”, afirma nota, assinada pelo ministro general Paulo Sérgio Oliveira.