Governo brasileiro realiza nesta quarta (13) nova rodada de interiorização de venezuelanos

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2019 06h55 - Atualizado em 13/03/2019 07h59
Antonio Cruz/Agência Brasil Um grupo de 234 pessoas, que atualmente está em Boa Vista, capital de Roraima, será dividido em 14 cidades de 11 Estados

O Governo Federal realiza nesta quarta-feira (13) mais uma rodada do processo de interiorização de refugiados e migrantes venezuelanos. Um grupo de 234 pessoas, que atualmente está em Boa Vista, capital de Roraima, será dividido em 14 cidades de 11 Estados.

Com o processo em andamento desde o ano passado, já passou de cinco mil o número de beneficiados pela Operação Acolhida.

Na Venezuela, a procuradoria-geral abriu investigação contra o autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, acusado de envolvimento no apagão que atinge diversas regiões do país.

Nesta terça-feira (12), o opositor comandou mais uma sessão da Assembleia Nacional e afirmou que a população sabe quem é o verdadeiro responsável pela crise. Juan Guaidó também convocou o povo venezuelano para ir às ruas contra o regime chavista.

Para Carolina Pedroso, professora de relações internacionais da Universidade de Ribeirão Preto, a situação do sistema elétrico deve ampliar os conflitos no país. Ela lembrou que o apagão já é um dos maiores da história da Venezuela.

Nas redes sociais, Juan Guaidó exigiu a soltura do jornalista Luiz Carlos Díaz, detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional junto ao dirigente do partido “Um Novo Tempo”, Rodney Moreno, acusados de participar de um boicote contra o sistema de energia do país.

Em nota após encontro, nesta terça-feira (12), os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Benítez, reforçaram o “firme compromisso” de manter o apoio ao povo venezuelano e ao líder opositor Juan Guaidó.

*Informações do repórter Matheus Meirelles