Governo de SP orienta empresas para agilizar testagem em massa

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2020 08h24 - Atualizado em 30/05/2020 08h25
EFE/Fernando Bizerra Jr.Nas últimas 24 horas, foram registrados mais de 5.600 novos casos no Estado e 295 óbitos

O Estado de São Paulo ultrapassou, nesta sexta-feira (30), a marca dos 100 mil casos da Covid-19 e sete mil mortos em decorrência da doença. Nas últimas 24 horas, foram registrados mais de 5.600 novos casos e 295 óbitos. Este é o segundo maior crescimento diário na região desde o início da pandemia.

Segundo o coordenador do comitê de saúde do governo, Dimas Covas, os números estão dentro do esperado e devem continuar aumentando. “Na última projeção que fizemos da evolução da pandemia projetamos para o dia 31 de maio entre 90 e 100 mil casos. Felizmente a nossa previsão de óbitos era maior, 11 mil, e os números são menores”, disse.

Com o isolamento social, os estacionamentos dos shoppings da capital ficaram vazios do dia para noite. Nas últimas semanas, o movimento voltou com pessoas em busca de testes da Covid-19 feitos no próprio carro. É o caso do Jobson Kemerson, de 25 anos, que teve sintomas da doença mas ainda não tinha sido testado. “Agora eu vou voltar a trabalhar na segunda-feira e decidi fazer o teste para tirar as dúvidas se tenho ou tive coronavírus”, afirmou.

Com uma pequena amostra de sangue, o procedimento é feito com rapidez, mas não é acessível a todos os brasileiros, já que custa em torno de R$ 300.

São Paulo faz mais testes de coronavírus que o resto do Brasil, mas a média fica abaixo de países como Ruanda, Iraque e Equador. Até agora, o estado fez cerca de 200 mil exames rápidos e do tipo RT-PCR, mais precisos.

A política de testagem é essencial para o sucesso do Plano São Paulo, que flexibiliza a quarentena gradualmente nas diversas regiões do estado.

Nesta sexta-feira, o governo Doria anunciou um novo protocolo para que empresas testem os trabalhadores que devem voltar ao trabalho. A medida orienta gestores sobre prevenção e monitoramento das condições de saúde de funcionários, colaboradores, fornecedores e da segurança de clientes.

* Com informações da repórter Letícia Santini