Governo de SP pode resolver liberação de insumos para a CoronaVac nesta terça

Instituto Butantan está há mais de uma semana sem produzir novas doses da vacina contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2021 06h58
Luis Lima/Estadão Conteúdo - 08/01/2021Além da CoronaVac, a vacina de Oxford também sofre com o atraso da chegada de insumos da China

O governo de São Paulo deve ter uma resposta ainda nesta terça-feira, 26, sobre o envio de insumos da China para a produção da CoronaVac. Por conta da falta de matéria-prima, o Instituto Butantan está há mais de uma semana sem produzir novas doses da vacina contra a Covid-19. A instituição paulista não recebe novos insumos desde o dia 30 de dezembro e o atraso pode levar à paralisação da imunização no país. O governador João Doria disse que terá uma reunião virtual nesta terça-feira com a Embaixada da China para resolver a questão.

“Tudo indica que será uma reunião bastante conclusiva. Ela começa às 10h30 e provavelmente até às 11h teremos conclusões finais e poderemos anunciar.” Na semana passada, Doria pediu ao ex-presidente Michel Temer que entrasse nas negociações para liberar a importação dos insumos. Durante coletiva de imprensa, Temer afirmou que conversou com o embaixador da China, Yang Wanming, e confirmou que os ativos serão liberados e enviados ao Brasil. “Os insumos estão sendo já acondicionados a uma pequena questão técnica. Mas eles virão para o Brasil tanto para o Butantan como para a Fiocruz.”

Além da CoronaVac, a vacina de Oxford também sofre com o atraso da chegada de insumos da China. O governador promoveu um encontro “pró-vacina” com ex-presidentes da República. Além de Fernando Henrique Cardoso, que esteve no Palácio dos Bandeirantes, Michel Temer e José Sarney também participaram do evento de forma virtual. Os ex-presidentes Lula, Dilma Rousseff e Fernando Collor de Melo declinaram o convite.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini