Governo do RJ e BNDES fazem acordo sobre Cedae e abrem caminho para concessão

Após uma semana de discussão, órgãos decidiram repassar metro cúbico da água ao futuro concessionário por um valor de R$ 1,70; governo corre para finalizar edital

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2020 07h39
JOÃO CARLOS GOMES/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOGrupos querem aprovar edital de concessão no fim de dezembro

Um passo importante foi dado nesta sexta-feira, 5, para tentar destravar o processo de concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae). O anúncio foi feito em coletiva de imprensa pelo governador do estado, Cláudio Castro. Ele se reuniu com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, ao longo de uma semana para discutir o preço pelo qual a água que será distribuída pelo futuro concessionário será vendida a ele. Enquanto o BNDES sugeria que o metro cúbico custasse R$ 1,46, a Cedae queria cobrar R$ 2,30.

O consenso entre os dois órgãos foi de que o valor de distribuição fosse de R$ 1,70 até o quarto ano. A partir disso, ele custará R$ 1,63. Agora, o estado do Rio de Janeiro corre contra o relógio para lançar o edital de concessão com prazo máximo do próximo dia 18 de dezembro. O documento ainda precisará passar pelo conselho da Cedae e pelo conselho da Câmara Metropolitana, assim como por outros órgãos de fiscalização. Se o cronograma apertado funcionar, a crise da Cedae, que enfrenta desabastecimento para mais de um milhão de pessoas no estado, pode ser agendada para o primeiro trimestre do ano de 2021.

* Com informações do repórter Rodrigo Viga