Governo promete manter cronograma do auxílio emergencial

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2020 06h25 - Atualizado em 24/04/2020 09h07
Dida Sampaio/Estadão Conteúdoedro Guimarães explicou que o dinheiro para o pagamento de todas as parcelas já está separado pela equipe econômica

O presidente Jair Bolsonaro desautorizou na quinta-feira (23) o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que anunciou a antecipação do pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial, a ajuda R$ 600 para os trabalhadores informais.

Ao ser questionado nas redes sociais, o presidente garantiu que o benefício não foi cancelado.

Mais tarde, na live das quintas-feiras o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, ao lado do presidente explicou que para garantir a liberação da ajuda é preciso que se tenha o dinheiro disponível.

Pedro Guimarães explicou que o dinheiro para o pagamento de todas as parcelas já está separado pela equipe econômica. Mas, como os pedidos superaram as expectativas iniciais, será necessário ainda um prazo para que se tenha uma complementação orçamentária que vai garantir todos os pagamentos.

Segundo o presidente da Caixa, mais de 33 milhões de pessoas já receberam o auxílio e o cronograma está mantido — inclusive com a liberação daquele saque emergencial do fundo de garantia.

Cerca de 2 milhões de pessoas com problemas na justiça eleitoral tiveram problemas no cadastramento no programa, mas isso já está sendo resolvido. O presidente Bolsonaro ainda explicou que, por conta de problemas observados nos pedidos, foi necessário fazer um pente fino para garantir que o dinheiro chegue a quem efetivamente tem direito.

O pagamento da segunda parcela, segundo o presidente, deverá ser feito cerca de 30 dias depois do pagamento da primeira parcela.

*Com informações do repórter Luciana Verdolin