Governo realiza nesta quarta rodada de leilões de áreas de produção e exploração de petróleo

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2017 07h21 - Atualizado em 27/09/2017 11h36
04/09/2007-Plataforma de PiranemaA perspectiva é de uma arrecadação com bônus mínimo de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão

O Governo realiza nesta quarta-feira (27), no Rio de Janeiro, em clima de, provavelmente, protestos contra mais um leilão, na 14ª rodada de áreas para a produção e exploração de gás e petróleo em território nacional.

A perspectiva é de uma arrecadação com bônus mínimo de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão, entrada de novos operadores e uma atuação discreta da Petrobras.

A ANP vai ofertar 287 blocos no mar e em terra. A perspectiva é que as bacias de Campos, Santos, Espírito Santo, Sergipe e Alagoas sejam as mais cobiçadas.

O secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix, disse nesta terça-feira (26) que, a partir de agora, com a realização deste leilão, a perspectiva é de uma produção em ritmo mais acelerado. “À princípio em mais velocidade. Acho que poderíamos estar um pouco acima, porque potencial a gente tem. Mas a produção brasileira não parou de crescer desde que foi criada a Petrobras”, disse.

O diretor-geral da ANP, Décio Oddone, foi mais comedido e falou de uma arrecadação de mais de R$ 500 milhões e espera que sejam vendidos de 20% a 30% dos 287 blocos. Algumas mudanças foram feitas para atrair novos investidores e ele acha que esse será o início da retomada. “Com sucesso no leilão e no do pré-sal, a gente abre caminho para retomada dos investimentos da indústria de forma definitiva”.

*Informações do repórter Rodrigo Viga