Governo prevê rombo de R$ 861 bilhões nas contas públicas em 2020

Para este ano, o governo tinha autorização do Congresso para um déficit primário de até R$ 124 bilhões

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2020 05h22 - Atualizado em 23/09/2020 07h49
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoA última projeção, divulgada em julho, estimava um déficit de R$ 787 bilhões. De acordo com o Ministério da Economia, nesse período os gastos com o combate à Covid-19 aumentaram cerca de R$ 84 bilhões

O Ministério da Economia prevê um rombo de R$ 861 bilhões nas contas públicas em 2020, o pior resultado da série histórica. A última projeção, divulgada em julho, estimava um déficit de R$ 787 bilhões. De acordo com o Ministério da Economia, nesse período os gastos com o combate à Covid-19 aumentaram cerca de R$ 84 bilhões. Só o pagamento das parcelas extras do auxílio emergencial vai custar R$ 67,6 bilhões. Para o economista, José Mauro Delella, o rombo representa um enorme desafio de ajuste fiscal nos próximos anos. “Esse resultado ele interrompe uma sequencia de melhora dos déficits registrados nos últimos anos. O resultado de um crescimento do déficit nesse ano é o aumento substancial da dívida e a estabilização da dívida, a partir do equacionamento do problema do coronavírus, vai depender dos ajustes que venham a ser realizados.”

Para este ano, o governo tinha autorização do Congresso para um déficit primário de até R$ 124 bilhões. No entanto, com o decreto de calamidade pública da pandemia e a aprovação do chamado Orçamento de Guerra, esse limite não é mais obrigatório. Ainda de acordo com o ministério da Economia, devido à crise, a arrecadação também será menor em 2020, o que contribui para o aumento do rombo nas contas públicas.

*Com informações da repórter Letícia Santini