Governo fecha cerco contra venda casada no crédito agrícola

A ação dos bancos, proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, encarece os juros e acaba inviabilizando o trabalho no campo

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2020 07h30 - Atualizado em 21/07/2020 09h36
ábio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilA ministra da Agricultura, Tereza Cristina, considera a venda casada uma prática inaceitável e reitera que a venda casada desestimula o produtor

O governo amplia a fiscalização e quer denúncia contra a “venda casada” na tomada de crédito agrícola no país. Os produtores reclamam que, ao contratar um empréstimo, são obrigados a adquirir outros serviços, como seguros e título de capitalização. A ação dos bancos, proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, encarece os juros e acaba inviabilizando o trabalho no campo. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, considera a venda casada uma prática inaceitável e reitera que a venda casada desestimula o produtor e interfere nos resultados da safra.

O ministro da Justiça, André Mendonça, ressalta que o pequeno agricultor é o mais prejudicado pela venda casada e pede aos produtores rurais para que denunciem a prática de venda casada pelos bancos. O presidente da Confederação Nacional da Agricultura, João Martins, chama de absurda a postura das instituições financeiras. João Martins, cobra uma posição mais firme da Febraban para vetar a venda casada. Denúncias sobre a prática, ilegal e proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, podem ser feitas pelo portal: consumidor.gov.br.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni