“Imagine camisa do Corinthians dentro do Allianz”, diz governador sobre agressões a jornalistas

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2018 09h30 - Atualizado em 10/04/2018 09h34
Jovem Pan"Você é da Globo? Você é da onde?" questionaram apoiadores de Lula durante transmissão ao vivo. Repórter estava sem caracterização da Jovem Pan

Durante a cobertura jornalística da prisão do ex-presidente Lula, que se arrastou por mais de três dias durante a última semana, muitos casos de agressão e intimidação a profissionais da imprensa foram constatados. Jornalistas, câmeras, operadores foram hostilizados por manifestantes pró-Lula, principalmente no entorno do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, onde estava o petista antes de se entregar à Polícia Federal.

Por conta disso e da evidente ameaça a qual os profissionais e manifestantes contra o petista estavam submetidos, muito se questionou sobre a atuação do governo de São Paulo e a falta de policiamento na região.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o governador de São Paulo, Márcio França, afirmou que Lula era um condenado da Justiça federal e com prisão decretada pelo juiz federal, Sergio Moro. “A Polícia Militar tem obrigação de ajudar caso seja solicitada. Ela entrou em negociação e coube a nós uma parte do percurso do ex-presidente”, disse.

Sucessor de Alckmin no Palácio dos Bandeirantes, Márcio França comparou a situação de agressões a jornalistas com um Dérbi Palmeiras x Corinthians, ocorrido no último domingo (08).

“As pessoas têm incitação de fazer. Presidente do Palmeiras sobre a maneira que ele conduziu na sequência do resultado de domingo, pode levar a pessoa a fazer coisa violenta. Lula estava dentro de sindicato. Foi lá para fazer o circo que estava armado para isso, imprensa cobrindo. Na rádio, dentro do estúdio, fala que tem que prender. Na ponta tem os jornalistas com o microfone. A pessoa que está lá acha que o jornalista que está lá é extensão do comentarista aqui. E age como palmeirense sobre o pênalti não marcado (…) Imagine entrar com camisa do Corinthians dentro do Allianz Parque”, disse o pessebista ao concordar que a agressão a jornalistas era previsível.

Márcio França comentou ainda sobre os apontamentos feitos por jornalistas dentro de suas redações, que não precisam ser ponderados, mas que o “rapaz da ponta”, ou seja, o jornalista que está no local do fato, deve ser ponderado.

“A situação era previsível. Você bota um grupo de pessoas, sujeito [Lula] gritando, ele queria isso, polícia lá, borrachada, sangue escorrendo. Não teve isso. Foi preso, vai cumprir pena”, completou o governador.

Confira a entrevista completa com o governador de SP, Márcio França: