Imunidade de rebanho contra Covid-19 só deve chegar com vacina, diz infectologista

Após análises, cientistas acreditam que até 66% da população de Manaus já teriam anticorpos contra o coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2020 05h30 - Atualizado em 23/09/2020 07h55
EFE/EPA/ETIENNE LAURENTEstudos já demonstraram que os anticorpos presentes no organismo humano diminuem nos meses seguintes à infecção

Um estudo preliminar indica que Manaus pode ter atingido a chamada “imunidade de rebanho”. Após análises com amostras de bancos de sangue, os cientistas acreditam que até 66% da população da capital amazonense já teriam anticorpos contra o coronavírus. O grupo, que envolve profissionais de instituições como USP, Oxford e Harvard, alerta, no entanto, que a amostra tem representatividade populacional limitada. O infectologista Alexandre Naime reforça que a imunidade de rebanho da Covid-19 só deve ser alcançada com a vacina. Se você expõe muita gente, é obvio que em determinado momento o vírus não vai conseguir circular, mas você teve um excesso de mortes que poderiam ser prevenido se a população ficasse isolada e aguardasse um tratamento efetivo. A esperança é se atingir a imunidade de rebanho não pela exposição ao vírus, mas sim quando tivermos uma vacina disponível.”

Ainda não existe um consenso entre pesquisadores à chamada imunidade de rebanho. Estudos já demonstraram que os anticorpos presentes no organismo humano diminuem nos meses seguintes à infecção. A mesma pesquisa revelou que São Paulo tem apenas 12% da população imunizada. O trabalho ainda deverá passar por revisão. De acordo com o balanço divulgado nesta terça-feira, 22, pelo ministério da Saúde, o Brasil registrou mais de 33 mil novos casos e 836 mortes por coronavírus em 24 horas. O país tem quase 4,6 milhões de casos e mais de 138 mil mortes confirmadas pela Covid-19.

*Com informações da repórter Nanny Cox