Mesmo com pandemia, indústria da construção registra perdas de apenas 2% no semestre

A expectativa é positiva até o final do ano, com um crescimento de 20% a 30% nos lançamentos

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2020 07h59 - Atualizado em 25/08/2020 08h18
Antônio Cruz/Agência BrasilO coronavírus abalou a tendência de crescimento do setor, verificada desde janeiro de 2018, mas a avaliação geral é a de que os impactos no mercado foram bem menores que os estimados inicialmente

As vendas de imóveis caíram 2,2% no primeiro semestre. O reflexo da pandemia foi mais sentido nos lançamentos; um recuo de 44% em relação ao mesmo período do ano passado, avalia o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins. “Ficou muito claro para nós que as regiões Sul, Norte, Nordeste form as que tiveram o menor impacto no segundo trimestre. A região Sudeste, principalmente São Paulo, foi a mais prejudicada, onde tivemos redução nas vendas”, afirma.

A expectativa é positiva até o final do ano, com um crescimento de 20% a 30% nos lançamentos. “No segundo semestre um acúmulo muito grande de lançamentos para suprir a demanda, pois o estoque está muito reduzido. Aquilo que no final do ano passado estávamos com um estoque que valia para 15 meses de venda, hoje foi reduzido a apenas dez meses de venda. O coronavírus abalou a tendência de crescimento do setor, verificada desde janeiro de 2018, mas a avaliação geral é a de que os impactos no mercado foram bem menores que os estimados inicialmente. Prova disso é a pesquisa da Confederação Nacional da Indústria, que aponta o crescimento no Índice de Confiança do Empresário da Construção subiu entre julho e agosto, e há uma maior disposição de investir ainda em 2020.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos