Especialista alerta para risco de acidente com carregadores de celular

O choque elétrico com celular pode causar queimaduras cutâneas, lesões internas, arritmias cardíacas e parada respiratória

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2020 07h14 - Atualizado em 25/08/2020 08h21
Pixabay. Segundo o especialista, os produtos originais são homologados pela Anatel

O corpo de Matheus Macedo Campos, de apenas 11 anos, foi enterrado nesta segunda-feira, 24, em Santarém, oeste do Pará. O menino usava um aparelho celular que estava conectado à tomada quando foi atingido por uma descarga elétrica durante um temporal no domingo. Ele foi socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu a uma parada cardiorrespiratória. Segundo o especialista em tecnologia da informação, André Castro, a recomendação é desligar os aparelhos quando estiver chovendo e, principalmente, se tiver raios. Ele ressalta que outro alerta é em relação ao uso de carregadores piratas. Segundo o especialista, os produtos originais são homologados pela Anatel.

No início do mês, um acidente parecido levou a vida do estudante João Vitor Remus, de 13 anos. O adolescente morreu após levar um choque ao encostar no plug macho de um aparelho que quebrou, com poucos dias de uso. A família do menino disse que ia entrar com uma ação na Justiça pedindo a retirada dos carregadores paralelos de celular de circulação. O choque elétrico com celular pode causar queimaduras cutâneas, lesões a órgãos internos e outros tecidos brandos, arritmias cardíacas e parada respiratória.

*Com informações da repórter Letícia Santini