Itens da ceia de final de ano têm variação de 234% em São Paulo

Panetone foi responsável pela maior disparidade do preço, seguido do damasco; aves natalinas tiveram menor diferença entre regiões

  • Por Jovem Pan
  • 30/12/2021 07h05 - Atualizado em 30/12/2021 08h27
Pixabay/CreAtive Commons Panetone Panetone puxou variação analisada pela Febraban

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor pesquisou os 12 produtos mais tradicionais da ceia de Natal do paulistano em 50 lojas físicas de todas as regiões da capital e assinalou que os itens podem ter variação de até 234%. A especialista da Proteste, Mariana Rinaldi, ressalta a grande diferença dos valores nos pontos de venda. “O produto que teve maior variação de preços foi o panetone. Nossos especialistas encontraram variação de 234% entre o preço desse produto, sendo que o mais barato custou R$ 6,29 e o mais caro R$ 20,99. A segunda maior variação identificada pela pesquisa foi a do quilo do damasco seco, que variou 136% e, em seguida, o preço do tender, que variou 115%. Por outro lado, em outro extremo, a pesquisa demonstrou que os preços das aves natalinas, como o peru e o chester, foi o que menos variou, em torno de 18%”, declarou. Em uma mesma região, as oscilações também são expressivas.

“Nós vimos que a discrepância de preços dentro da mesma cidade e entre as próprias regiões é imensa. Na zona oeste e sul são as mais caras de todo o nosso levantamento, e a zona norte foi a mais barata. Nesse sentido, a pesquisa de preços segue sendo fundamental”, afirmou. A Associação Brasileira de Supermercados espera crescer 17% nas vendas em lojas físicas em relação ao ano passado, com destaque para as carnes, com alta de 18%, e a cerveja, com 16%. A pandemia expandiu o e-commerce em 2020 e no segundo ano o setor espera uma alta de 19%, que representaria uma participação de 7% no faturamento dos supermercados.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos