Joaquim Leite minimiza desmatamento na Amazônia em janeiro e diz que Brasil está no ‘caminho certo’

Ministro do Meio Ambiente destacou melhoria da questão em 5% nos últimos seis meses, apesar de resultado do mês ter sido 48% pior que no começo de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2022 12h24
Flickr/Ministério do Meio Ambiente Novo ministro do Meio Ambiente Joaquim Alvaro Pereira Leite, ministro do Meio Ambiente

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Pereira Leite, disse nesta segunda-feira, 15, que, apesar do desmatamento na Amazônia legal em janeiro ter sido maior para o mês desde 2016, houve uma queda no acumulado dos últimos seis meses de cerca de 5% na derrubada floresta. Em entrevista à TV Brasil, Leite afirmou que essa redução indica que o Brasil está no caminho certo. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais registrou alertas de desmatamento em uma área de 430 quilômetros quadrados na Amazônia no mês passado. Uma alta de 48% em relação ao mesmo período de 2021.

“Um dado de um mês não dá para atribuir especificamente, quando se vê as imagens de satélite, pode ser que tenha cobertura de nuvens. Então tem essa variabilidade. Eu acho que o importante é a gente estar no caminho certo, considerar o crime ambiental uma obrigação do Estado atuar. E tem atuado. A Polícia Federal tem atuado em combater o desmatamento ilegal, o garimpo ilegal no território, e atuado de forma contundente”, disse. O ministro defendeu a ação do governo na região e ressaltou a parceria com o Ministério da Justiça na proteção ambiental.

“Nos próximos meses, nós devemos lançar o programa Guardiões do Bioma, que teve bons resultados no ano passado, em relação a incêndios. Nós devemos lançar um especificamente para desmatamento na Amazônia, colocando dez bases na Amazônia, no meio da Amazônia, com a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional atuando conjuntamente, Ibama e Icmbio atuando também nesse tema, uma vez que terá crime organizado e crime ambiental. Nada melhor do que a Polícia Federal atuando nesse tema, porque eu acho que ela tem uma força muito maior do que só o Ministério do Meio Ambiente. E ela tem atuado de forma contundente e o ministro Anderson tem feito um bom trabalho”, disse Leite.

*Com informações do repórter Fernando Martins