Deputado do PSL diz que Bebianno se preocupava com ‘ameaças’ que recebia nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 14/03/2020 11h57
Estadão ConteúdoPara Julian Lemos (PSL), "mataram Bebianno de tristeza"

Em entrevista ao Jornal da Manhã neste sábado (14), o deputado Julian Lemos (PSL) falou sobre supostas ameaças que Gustavo Bebianno, ex-ministro do governo de Jair Bolsonaro, recebia e sobre como ele temia pela sua vida e de sua família. Bebianno faleceu nesta madrugada, aos 56 anos, após um infarto fulminante em Teresópolis, Rio de Janeiro.

Segundo Lemos, as ameaças que o ex-secretário geral da República recebia aconteciam sobretudo na internet. “Ele resolvia as coisas cara à cara, diferente de alguns que só são ‘macho’ atrás de Twitter. Mas às vezes ele comentava que temia pela vida dele. Ele sabia que as pessoas eram poderosas.”

De acordo com o deputado, desde a exoneração do cargo por decisão do presidente Bolsonaro, o ex-ministro estava “em profunda tristeza e angústia com sua reputação destruída”. Para Lemos, “mataram Bebianno de tristeza”.

“Ele era ingênuo para a política. Um homem íntegro, mas vinha com aquela decepção de ter sido tratado como alguém que fez um mal — quando, sem exceção, todos que circulavam com ele sabiam da sua integridade e da sua admiração pelo presidente Jair Bolsonaro.”

Lemos declarou também que a decisão do presidente de exonerar Bebianno do cargo foi uma “injustiça”. “Ele foi uma das pessoas que mais contribuíram para que o presidente estivesse onde está. Muitas vezes [Bolsonaro] chegou a dizer na minha frente que chegou à presidência por causa desse cara. O presidente sabe que foi injusto com Bebianno.”