Lewandowski se posiciona favorável à vacinação de jovens sem comorbidades contra a Covid-19

Para o ministro do Supremo Tribunal Federal, um dos motivos é a volta à normalidade escolar

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2021 06h52 - Atualizado em 12/10/2021 11h56
Nelson Jr./SCO/STFLewandowski apoiou a decisão de vacinar adolescentes e crianças de 12 a 17 anos

O Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão virtual, delegou a Estados e municípios a responsabilidade da vacinação em adolescentes entre 12 e 17 anos conta a Covid-19. O ministro Ricardo Lewandowski apoia a imunização dos jovens sem comorbidades, já que as vacinas foram aprovadas pela Anvisa e agências sanitárias da Europa, Austrália e Estados Unidos. Para ele, o Ministério da Saúde tomou “uma decisão intempestiva e, aparentemente, equivocada” ao suspender a vacinação para o grupo que não apresenta comorbidades. Segundo a Suprema Corte, a vacinação do grupo é necessária, sobretudo, para o retorno à normalidade escolar. O STF ainda ressaltou que pais e responsáveis devem se atentar ao calendário e agendamento de imunização, assim como considerar as adversidades e recomendações dos fabricantes.

*Com informações do repórter Fernando Martins