Líderes definem nesta quinta-feira o comando das comissões da Câmara

Colegiados de Constituição e Justiça e de Relações Exteriores geram disputa entre os parlamentares

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2021 06h53
Maryanna Oliveira/Câmara dos DeputadosA deputada do PSL, aliada do presidente Jair Bolsonaro, venceu as obstruções para presidir o colegiado

A Câmara dos Deputados instala as comissões permanentes nesta quinta-feira, 04, com Bia Kicis no comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A deputada do PSL, aliada do presidente Jair Bolsonaro, venceu as obstruções para presidir o colegiado, dentro de um recuo de Carla Zambelli (PSL) da Secretaria de Comunicação, embora enfrente grande resistência e alguns partidos ainda admitem lançar candidatos avulsos. Em 2020, sob argumento da pandemia, mas, sobretudo, por falta de acordo político, as comissões não tiveram expediente.

A Comissão de Relações Exteriores também gera uma disputa entre Aécio Neves (PSDB), Arlindo Chinaglia (PT) e Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL). O ex-senador negocia com o presidente da Câmara, Arthur Lira, que teria prometido a vaga ao PSL. Aécio poderia assumir o comando da Comissão de Ciência e Tecnologia ou deixá-la com o colega tucano de São Paulo, Vitor Lippi. Briga por espaço também na Comissão de Minas e Energia, entre Édio Lopes (PL) e Carlos Chiodini (MDB). Ao mesmo tempo, outros colegiados já têm o comando decidido. A Educação ficará com a Professora Dorinha (DEM), Desenvolvimento Econômico com Otto Alencar Filho (PSD), Finanças e Tributaçã com Julio César (PSDD), Saúde com Dr. Luizinho (PP), Agricultura a cargo de Aline Sleutjes (PSL), Viação e Transportes para Gutemberg Reis (MDB) e Trabalho, Administração e Serviço Público com Afonso Motta (PDT).

*Com informações do repórter Marcelo Mattos