MEC divulga calendários de Fies e Prouni e se compromete a analisar proposta de aulas presenciais

Ministro Milton Ribeiro se reuniu com representantes de universidades para discutir polêmica decisão que pedia volta às aulas presenciais no país

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2020 08h57
FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 27/11/2020 Ministro se reuniu com representantes de universidades

Mesmo com a indefinição sobre a retomada das aulas presenciais, o Ministério da Educação divulgou nesta sexta-feira, 5, os cronogramas dos processos seletivos do Programa Universidade Para Todos (Prouni) e do Fies para o primeiro semestre de 2021. Segundo os dados da pasta, as inscrições no Prouni poderão ser feitas entre os dias 12 e 15 de janeiro, com primeira chamada está prevista para o dia 19 do mesmo mês. Já as inscrições no Fies vão de 26 a 29 de janeiro do ano que vem e o resultado sai no dia dois de fevereiro. Nesta sexta-feira, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, se reuniu com representantes de entidades de ensino técnico e superior para discutir a portaria que determina a volta às aulas presenciais nas instituições de ensino superior a partir de 4 de janeiro.

Reitores e instituições defendem que o texto seja alterado e o ensino remoto seja mantido até o fim do ano que vem. Segundo o MEC, o ministro fez um breve relato dos objetivos da portaria, da importância de observar os protocolos de segurança, da preservação dos grupos de risco e de particularidades locais ou regionais. Milton Ribeiro salientou que diversos outros países estão retomando o ensino presencial e o Brasil não pode ficar para trás. Ainda de acordo com a pasta, a maioria dos representantes das entidades se mostrou favorável à necessidade do retorno das aulas presenciais, respeitando os protocolos de segurança e a autonomia das instituições de ensino superior. Ao final do encontro, que durou uma hora e meia, o ministro Milton Ribeiro se comprometeu a analisar os pontos apresentados e a dar uma resposta o mais breve possível.

*Com informações da repórter Camila Yunes