Ministério da Saúde assina nova aquisição de vacinas da Pfizer e garante estar pronto para enfrentar nova variante

Marcelo Queiroga afirmou que os cuidados para evitar a Ômicron são os mesmos de as outras variantes e que a principal arma contra a cepa é a campanha de imunização

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2021 08h26 - Atualizado em 29/11/2021 11h32
Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo - Novo contrato para a aquisição de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 é assinado nesta segunda; doses deverão ser utilizadas em 2022

O governo federal assina na manhã desta segunda-feira, 29, um novo contrato para a aquisição de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para 2022. Com a presença do ministro da cidadania, João Roma, o acordo será firmado em Salvador, na Bahia, pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Em transmissão nas redes sociais no último domingo, 28, Queiroga disse que a vacinação avançada no Brasil ajuda a dar mais tranquilidade em relação à variante Ômicron do coronavírus. “Gostaria de tranquilizar todos os brasileiros, porque os cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes e a principal arma que nós temos para enfrentar essas situações é a nossa campanha de imunização. Nesse particular, como vocês sabem, o Brasil vai muito bem”, disse.

Ao lado do ministro, o secretário de vigilância em saúde, Arnaldo Medeiros, disse que o Brasil está preparado para identificar e enfrentar a nova cepa: “Temos no nosso país uma vigilância genômica ativa, na qual fazemos de maneira continuada. Temos uma rede de secretarias de vigilância em saúde espalhada em todo o país, que trabalha 7 por 24, em 365 dias, para garantirmos à população brasileira a segurança necessária nesse sentido”, comentou. Na live, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, explicou que o objetivo da decisão de barrar a entrada de viajantes que estiveram nos países africanos nos últimos 14 dias é retardar a entrada da variante Ômicron no Brasil.

*Com informações do repórter Marcos Pera