Ministro lidera ato contra próprio governo na Itália e expõe fissuras da política no país

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 15/02/2020 09h48
EFE/ Riccardo AntimianiLuigi di Maio, ministro do Exterior italiano, ex-líder do Movimento Cinco Estrelas veio a público pedir que as pessoas se manifestem pacificamente

Política não é costuma ser um tema fácil em lugar nenhum do mundo, mas os italianos se esforçam bastante para deixar tudo um pouco mais confuso. Um protesto contra o governo foi convocado para este sábado (15) na capital Roma e até aí poderia parecer algo comum.

O problema é que a manifestação foi convocada justamente por uma das peças centrais na coalizão que comanda o país. Luigi di Maio, ministro do Exterior italiano, ex-líder do Movimento Cinco Estrelas veio a público pedir que as pessoas se manifestem pacificamente contra um movimento que, segundo ele, quer cancelar as leis da Itália.

Maio deixou a liderança do Movimento Cinco Estrelas no mês passado e o partido está sofrendo uma forte crise já há bastante tempo.

Na verdade, o maior problema do MS5 foi ter chegado ao poder. Enquanto era oposição o movimento que prometeu quebrar com o establishment político, adotou ideiais de direita, de esquerda e do populismo nadou de braçada com a opinião pública.

Ocorre que também existe algo chamado real politik e quando se viu com a caneta na mão o grupo não soube muito bem o que fazer.

Depois de aliar a extrema-direita italiana, o partido deu uma guinada e se juntou à velha política com a centro-esquerda e no meio dessa bagunça toda perdeu apoio popular e também quadros importantes dentro da própria organização.

O cavalo de batalha do Cinco Estrelas no momento é o programa de renda mínima universal — que o PD não estaria demonstrando tanto interesse em implementar.

A questão é que antes de mais nada é preciso lembrar que a Itália já tem uma dívida absurda, quase impagável. Só a Grécia tem uma relação dívida-PIB maior que o governo de Roma. E no fim a população também entende essa questão simples: o país simplesmente não tem dinheiro sobrando.

Até por isso o Movimento Cinco Estrelas perdeu quase a metade dos votos que tinha quando viveu seu melhor momento. Aqueles que levantaram a bandeira de uma nova política, contra os privilégios dos parlamentares e a corrupção, já estão sofrendo uma séria crise de credibilidade na Itália.