Moradores de área mais devastada nas Bahamas tentam retomar a rotina

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2019 07h20
EFEA comunidade haitiana que vive nas Bahamas foi uma das que mais sofreu com o furacão

Ainda há cerca de 2500 pessoas desaparecidas nas Bahamas, depois de mais de uma semana da passagem do furacão Dorian. De acordo com os serviços de emergência, já são pelo menos 50 mortos confirmados no arquipélago.

Mesmo com a situação de emergência não tendo terminado, centenas de moradores tentam se reerguer. Enquanto parte da população deixou as ilhas em direção aos Estados Unidos, outros não querem deixar as terras e prometem reconstruir o que foi destruído.

A comunidade haitiana que vive nas Bahamas foi uma das que mais sofreu com o furacão. Casas e comércios do grupo foram destruídas. Grande parte deles foi tirada da região de Ábaco, fortemente atingida pela tormenta, e levada para Nassau. Apesar disso, essa parcela da população não tem para onde ir e também pretende recomeçar do zero.

De acordo com a Organização das Nações Unidas, cerca de 70 mil pessoas ainda precisam de abrigo ou comida. O prejuízo total ainda não foi estimado, mas analistas acreditam que, só em bens segurados, o prejuízo seja equivalente a R$ 12 bilhões.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles