Mulheres ganham espaço no mercado financeiro e começam a ocupar grandes cargos 

Análise da Bolsa de Valores aponta que, em abril de 2020, 25% dos investidores eram do sexo feminino

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2021 12h06 - Atualizado em 26/09/2021 12h48
Ahmad Ardity/PixabayEm abril de 2020, 25% dos investidores da bolsa de valores, de um total de 1,9 milhão, eram mulheres

O mercado financeiro está mudando. O que era um espaço praticamente masculino agora já começa a ser ocupado por mulheres. Segundo uma análise da evolução dos investidores, pessoas físicas, publicada pela Bolsa de Valores, em abril de 2020, do total de 1,9 milhão de investidores, 25% são do sexo feminino. Para atrair e manter investidoras e profissionais na área de finanças, a empresária Carolina Cavenagui fundou uma plataforma digital. “Hoje eu recebo um fluxo muito grande de empresas que mandam vagas para a gente divulgar, que têm interesse em fazer em nosso banco de currículos, para atrair mais mulheres. E o nosso principal objetivo é esse, atrair, incluir e promover mais mulheres“, conta.

A plataforma conecta empresas a currículos de mulheres que querem atuar no mercado financeiro. Mais de 4 mil já se inscreveram. A Vanessa Salles é uma delas. “Quando a gente fala de um espaço historicamente marcado por uma desigualdade, muitas vezes a gente tem dificuldade de se ver naquele lugar e consequentemente de achar que não é um espaço que se pode ocupar. Essa era a minha relação com o mercado financeiro até um tempo atrás. Eu sempre tive bastante interesse em saber como as coisas funcionavam, mas sempre tive um pouco de receio quando eu ia considerar como uma opção de carreira de fato. Fiquei encantada com a plataforma. Quando a gente pega um portal de vagas cheio de oportunidade, a gente pensa: olha o tanto de empresas procurando pessoas como eu”, relata Vanessa.

“Não é somente uma causa, é uma vantagem competitiva, a gente tem que trazer a importância e relevância que isso tem, não de ser a coisa certa, porque seria certo contratar mais mulheres. Não, é a coisa mais inteligente a ser feita”, afirma Cavenagui. 20% da alta liderança executiva no setor financeiro brasileiro já é composto por mulheres. Mas menos de 2% de cargos de CEOs são femininos. O percentual está bem longe da proporção entre homens e mulheres na população brasileira. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a população masculina é de 48,2 por cento e a feminina de 51,8%.

*Com informações da repórter Juliana Tahamtani