Na CPI da Câmara de SP, médico da Prevent Senior admite erro em estudo sobre tratamento precoce

Rodrigo Esper afirmou, em depoimento, que não fez uma pesquisa, apenas um relato observacional, mas vereador do PTB resgatou reportagem na qual ele falava o contrário

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2021 10h20 - Atualizado em 12/11/2021 10h25
ALLISON SALES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 10/09/2020Câmara de Vereadores de São Paulo

O médico da Prevent Senior Rodrigo Barbosa Esper justifica erro na divulgação dos resultados do kit Covid. Ele garantiu à CPI da Câmara de São Paulo que apenas analisou dados de 600 pacientes e 1.700 atendimentos, constatando que 5% que tomaram cloroquina e azitromicina evoluíram com menor necessidade de internação. Ele afirmou que, no início da pandemia, havia poucas informações e que, quando se deparou com isso, entendeu que era um dever ético e moral avisar a comunidade médica. Rodrigo Barbosa Esper ressaltou que houve grande repercussão, até internacional, e que redigiu um artigo, mas o inseriu num código já registrado na CONEP, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. “Uma pessoa ética e correta, como eu afirmo que sou, retirei imediatamente qualquer tipo de submissão para revista científica. Essas explicações foram documentadas em duas cartas enviadas para a CONEP, explicando que se tratava-se de um equívoco. Não tem absolutamente nada a ver o estudo do qual o doutor Rafael Souza era pesquisador com o relato observacional, que jamais existiu qualquer tipo de experimentação com os pacientes, jamais”, alegou. Mas o relator da CPI, o vereador Paulo Frange (PTB) resgatou uma reportagem da época na qual o mesmo médico admite a existência a pesquisa. “Ela pergunta ao senhor: ‘por que o estudo ainda não foi publicado em periódico científico?’ O senhor respondeu: ‘o processo de publicação científica pode demorar meses e o caminho perfeito da ciência, infelizmente, não tem a mesma velocidade da pandemia'”, lembrou o vereador. Em depoimento anterior à CPI, o diretor da CONEP, Jorge Venâncio, relatou fortes indícios de fraude no estudo da Prevent Senior. Os resultados da análise chegaram a ser divulgados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em rede social. Rodrigo Barbosa Esper condenou a politização do tema. “Afirmo já aqui que eu, Rodrigo Esper, não tenho nenhuma relação com nenhum partido político e a Prevent Senior”, disse. A CPI da Prevent Senior na Câmara de São Paulo também ouviu outros três médicos da operadora de saúde.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos