Na quarta semana de protestos, peso chileno atinge menor valor da história

  • Por Jovem Pan
  • 13/11/2019 07h12
EFEAo longo deste mês de reivindicações, a moeda norte-americana já subiu 10%

A moeda do Chile chegou ao menor valor da história nesta terça-feira (12).  Segundo a cotação da Bloomberg, o dólar subiu 3% e passou a ser cotado a 783, 82 pesos.

O Chile enfrenta a quarta semana consecutiva de intensos protestos, os maiores desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet, em 1990. Ao longo deste mês de reivindicações, a moeda norte-americana já teve alta de 10%.

Ontem, o país viveu mais um dia de greves gerais. Santiago foi tomada por barricadas em chamas, que impediram o trânsito de veículos nos dois sentidos da Rodovia do Sol, que liga a capital ao porto de San Antonio. Segundo relatos da mídia local, ao menos dez pontos da cidade registraram incêndios.

Cerca de 100 organizações sociais mobilizaram a greve para pressionar o governo a cumprir as reformas sociais prometidas.

Os protestos tiveram início após o aumento da passagem de metrô. No entanto, os atos ganharam força e, atualmente, questionam o alto custo de vida, a desigualdade no país e a Constituição, vigente desde a ditadura de Pinochet.

Ainda nesta terça-feira (12), o presidente do Chile, Sebástian Piñera, fez um pronunciamento afirmando que será feito um acordo para uma nova Constituição. Ele disse, ainda, que a participação dos cidadãos será necessária não apenas na elaboração do novo texto, mas também para dar a “última palavra em sua aprovação”.

*Com informações da repórter Camila Yunes