No Reino Unido, oposição pressiona por lockdown nacional de duas semanas

Em Londres, o prefeito Sadiq Khan indicou que a capital pode ser colocada em alerta máximo nos próximos dias

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 14/10/2020 08h15 - Atualizado em 14/10/2020 09h07
EFENa terça-feira (13) o Reino Unido registrou mais de 17.200 casos novos de Covid-19 em apenas 24 horas

O governo regional de Belfast decidiu ampliar as restrições de circulação da Irlanda Norte a partir desta sexta-feira (16). Bares, pubs e restaurantes vão fechar as portas por pelo menos um mês, seguindo medidas semelhantes que começam a valer nesta quarta (14) em Liverpool. As escolas do país, que faz parte do Reino Unido, serão fechadas a partir de segunda-feira (19) por pelo menos duas semanas. Os governantes locais estão seguindo as recomendações de médicos e cientistas, que foram claros: não dá para manter tudo aberto neste momento — ou escolas ou bares precisam fechar.

Na terça-feira (13) o Reino Unido registrou mais de 17.200 casos novos de Covid-19 em apenas 24 horas, além de 143 mortes causadas pela doença. As capas de praticamente todos os jornais e tablóides de Londres nesta quarta-feira estampam imagens do líder da oposição, Keir Starmer. O trabalhista está pressionando o governo para que declare um lockdown nacional de duas semanas, o chamado circuit breaker.

Já está claro que Boris Johnson abandonou as recomendações dos cientistas e adotou uma postura política no gerenciamento da crise. As estatísticas diárias britânicas se aproximam das do Brasil, país que tem população três vezes maior que a daqui. Ainda que seja preciso levar em conta o fato dos brasileiros estarem retornando de um feriado e a sempre presente questão da subnotificação, o fato é que os contágios saíram do controle de novo em território britânico.

Na semana que vem o Reino Unido terá um feriado escolar do meio do semestre e, por isso, a pressão é para que Johnson aproveite a ocasião e mande todo mundo ficar em casa por pelo menos 15 dias. Mas não há consenso dentro do partido conservador e, apesar dos apelos da oposição, o apoio popular para uma nova quarentena segue baixo. Em Londres, o prefeito trabalhista Sadiq Khan já indicou que a capital pode ser colocada em alerta máximo nos próximos dias, o que significa fechamento de pubs e proibição de encontros entre pessoas que não moram na mesma residência.