OMS define nesta quinta se declara emergência global por vírus da China

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2020 06h10
EFE/EPA/LU HONGJIEAs autoridades estão recomendando que, caso não seja necessário, as pessoas não entrem e nem saiam do município de Wuhan

O México anunciou nesta quarta-feira (22) que existem dois casos suspeitos de coronavírus. Segundo as autoridades de Saúde, o país está preparado para lidar com a situação.

Durante o anúncio, o médico Ricardo Cortés disse não existir motivos para a população se preocupar.

O surto, que começou na China, já deixou mortos e centenas de pessoas infectadas no país. Além do território chinês, casos já foram confirmados no Japão, na Tailândia, em Taiwan e na Coreia do Sul.

Os Estados Unidos também confirmaram a existência de um paciente infectado e informaram que o quadro de saúde dele evolui bem. Além disso, 16 pessoas que tiveram contato com ele estão sendo monitoradas.

Também há suspeitas nas Filipinas e na Austrália.

O coronavírus causa febre, tosse, falta de ar e dificuldade em respirar.

No centro do surto, na cidade chinesa de Wuhan enfermeiras continuam trabalhando apesar do medo de contaminação. Na cidade, que tem mais de 11 milhões de habitantes, o transporte público está fechado e os voos que partem da região foram cancelados.

As autoridades estão recomendando que, caso não seja necessário, as pessoas não entrem e nem saiam do município.

A proximidade do Ano Novo Chinês também é motivo extra de preocupação. O feriado aumenta a circulação de turistas e moradores pelo país.

A Organização Mundial da Saúde está acompanhando de perto a situação. Um comitê de emergência da OMS se reuniu para decidir se vai classificar a situação como “emergência de saúde pública de interesse internacional”.

Até o momento, a organização usou a denominação apenas em casos raros de epidemias — como a gripe suína H1N1, o zika vírus e a febre ebola.

No encontro, a OMS preferiu buscar mais informações sobre as contaminações. Integrantes da instituição também elogiaram as medidas “muito fortes” que o governo da China está adotando para “minimizar” os riscos do surto se espalhar.

Uma nova reunião da OMS sobre o assunto está marcada para está quinta-feira (23) em Genebra, na Suíça.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni